Em uma pesquisa feita pela empresa eMarketer com consumidores ao redor do mundo sobre motivos de abandono dos carrinhos de compras, um dado chamou a atenção: 58% dos compradores brasileiros, em algum momento, já deixaram de finalizar compras graças ao elevado custo do frete.

Assim, pode-se dizer que a gestão dos custos logísticos não é apenas uma forma de melhor administrar a empresa ou de conseguir mais lucro, mas também engloba fatores determinantes para a decisão de compra dos consumidores.

De um modo geral, principalmente no e-commerce, a má administração logística acarreta prejuízos para a empresa e afasta seus consumidores.

Sabendo disso, nós separamos 4 dicas de gestão de custos logísticos para que você possa sair dessa situação. Confira!

1. Planeje os custos de transporte

Todos os custos que são passados para o cliente, além do valor do produto em si, impactam diretamente a venda no e-commerce. Como já falamos, 58% dos consumidores brasileiros já abandonaram o carrinho graças ao valor do frete.

Essa informação mostra o quão importante é a gestão do custo de transporte para o consumidor final. Nesse caso, é preciso pensar em alternativas. Avalie, por exemplo se vale mais a pena utilizar os correios ou uma transportadora.

Existem empresas de transporte com taxas de entrega diferenciadas para cada região, o que pode gerar custos menores.

Além disso, com o frequente uso das mesmas empresas e mesmas rotas, você ganha poder de barganha com a transportadora. Essas saídas são exemplos interessantes para solucionar o problema dos fretes elevados.

2. Faça uso do sistema JIT

O sistema Just in Time (JIT) surgiu no início dos anos 50. Com seu nascimento acontecendo dentro das fábricas da Toyota, o JIT tinha um objetivo: reduzir os custos de armazenagem.

O trabalho pautado nesse sistema pressupõe a produção de bens e serviços no momento em que são necessários. Ou seja, em vez de criar vastos estoques, a produção é feita à medida que os clientes fazem os pedidos.

A forma que o JIT vai ser utilizado no e-commerce dependente de cada empreendimento. Mas, de uma maneira geral, pode-se pensar em deixar alguns itens em estoque, em pequeno número, e, conforme vão são vendidos, o estoque é reabastecido.

3. Utilize a metodologia ABC na gestão de custos logísticos

Outro caminho interessante para administrar questões logísticas é a utilização da metodologia ABC (Activity Based Costing ou Custeio Baseado em Atividade, em português). Esse é o modelo mais completo, atualmente, para a gestão de custos logísticos.

Ele consiste em identificar, analisar e alocar os custos de processos da empresa. Com isso, é possível ter uma visão mais ampla e realista do direcionamento de recursos para cada atividade, além do custo gerado.

Algumas das vantagens dessa metodologia são:

  • identificar atividades desnecessárias e eliminá-las;
  • mostrar os custos logísticos de cada produto, cliente e fornecedores;
  • identificar partes do canal de distribuição com excessivo consumo de recursos e redirecioná-los.

4. Faça da CPA uma constante na empresa

A análise CPA (Customer Profitability Analysis, ou Análise da Rentabilidade por Cliente) é uma metodologia criada para mensurar o custo de cada cliente para a empresa.

A CPA busca identificar a margem líquida de cada cliente, depois que são descontados todos os custos logísticos relacionados ao produto que foi entregue. Essa análise serve para ter ciência de quando um cliente representa em termos de lucratividade ou prejuízo.

Depois do levantamento, é possível pensar em ações para melhorar as relações de venda como, por exemplo, oferecer frete gratuito para compras a partir do valor X, bem como outras medidas que seguem pelo mesmo caminho.

Pode-se afirmar, com isso, que o número de ferramentas que podem ser usadas para a gestão de custos logísticos é amplo. O mais importante com relação a elas é que sejam bem aplicadas. Afinal, os gastos com logística são uma das grandes fontes de custo de uma empresa, além de representarem desafios no trato com os clientes.

Como você deve ter percebido, os custos de transporte — em especial, o frete que é repassado para os clientes — têm grande impacto no e-commerce. Quer saber mais a respeito do tema? Conheça os tipos de frete para e-commerce. Boa leitura!

O post Gestão de custos logísticos: 4 dicas importantes para e-commerce apareceu primeiro em Frenet – Gateway de Fretes.

via Frenet
http://ift.tt/2hYlUCj
July 7, 2017 at 01:16PM

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s